segunda-feira, 7 de abril de 2014

[Resenha - Planeta] O Momento

Postado por Ju às 22:00
Título: O Momento
Autor: Douglas Kennedy
Tradução: Júlio de Andrade Filho
Editora: Planeta

Sinopse: Thomas Nesbitt é um escritor recém-divorciado que está em crise de meia-idade. Vivendo de maneira bastante reservada no Maine — em contato apenas com a filha e tentando se recuperar pelo fim de um longo casamento – sua solidão é interrompida em uma manhã de inverno quando recebe uma caixa. O nome Dussmann, que está marcado no embrulho, o desestabiliza completamente, pois pertence à mulher com quem ele teve um caso de amor intenso, em Berlim, 25 anos antes. Durante um período em que a cidade era dividida em duas e as lealdades pessoais e políticas eram frequentemente intimidadas pelas sombras profundas da Guerra Fria. Recusando-se, inicialmente, a enfrentar o que ele pode encontrar na caixa, Thomas é forçado a lidar com um passado que manteve secreto durante toda a vida. No processo, ele acaba revivendo os meses que passou em Berlim, lugar onde pela primeira e única vez descobriu a força extraordinária do verdadeiro amor. Petra Dussmann, a mulher para quem ele entregou seu coração, não era apenas uma refugiada e sim alguém que vivia com uma tristeza profunda permanente que acabou reescrevendo o destino dos dois.

Thomas Nesbitt é um escritor de livros de viagem que acaba de receber os papéis que darão fim a seu casamento de mais de 20 anos. Vive praticamente recluso, e o fato de seu divórcio estar sendo oficializado é a gota d'água para que surte completamente. Não que seu casamento seja tão significativo assim, mas sabem aquele momento em que a pessoa não aguenta mais tanta pressão da vida e apenas um detalhe a faz desabar? É isso. Sem pensar no que está fazendo, tem uma atitude completamente imprudente, da qual se arrepende no último momento. Esse arrependimento salva sua vida, e assim ele tem que enfrentar algo muito mais complicado: encarar o passado que realmente o machuca, que lhe visita na forma de uma caixa.

Quando Thomas era bem mais jovem, e ainda um escritor iniciante, decidiu que viveria na Alemanha por um ano, e depois escreveria sobre a experiência. Eram tempos bem diferentes, o muro de Berlim ainda separava a RDA - República Democrática Alemã -, o nome que representava a Alemanha Oriental, do restante do mundo. Filtrava tudo o que o ocidente pudesse oferecer, mantinha seu povo "protegido" e, ao mesmo tempo, prisioneiro. Fornecia educação, moradia, e coisas do tipo, mas sempre apenas o básico. Não era possível deixar o país para fazer turismo em algum lugar. Também não se podia confiar plenamente em ninguém, pois havia espiões trabalhando para a RDA em todos os lugares.

Foi nesse clima que cresceu Petra Dussmann. Mas acabou sendo expulsa da RDA, e foi na parte ocidental de Berlim que ela se deparou com Thomas pela primeira vez. E é esse nome, Dussmann, que o escritor tem em sua frente, como remetente de uma caixa que o leva de volta no tempo. Que o faz querer reler um manuscrito que está em sua gaveta há muitos e muitos anos, com tudo que ele nunca se sentiu autorizado a revelar.

Então, temos um livro dentro do livro. A história de Thomas e Petra foi o que realmente me fisgou. A partir do primeiro encontro deles, fui levada para dentro da narrativa. As personagens principais parecem ter um grave problema de falta de autoestima e de falta de confiança no mundo, mas com o tempo a gente descobre que elas fazem o que podem suportar. À medida que conhecemos tudo o que viveram, fica mais fácil entender suas atitudes.

Posso aceitar finalmente a felicidade? Posso considerar que eu a mereço? Posso aferrar-me à felicidade e permitir-me não afastá-la de mim, não deixar que ela desapareça?

Em certo momento, o autor decide que quer fazer a gente sofrer bem aos poucos. Senti como se eu estivesse sendo realmente torturada, mas sabendo que ele queria que eu sobrevivesse. Depois de muito sofrimento, quando a gente pensa que acabou, vem a parte em que ele realmente parece enfiar uma faca no nosso coração e ficar remexendo para doer mais. É inacreditável tudo o que acontece. E, por mais que doesse muito conhecer todos os fatos, eu não conseguia parar de ler.

É incrível como sempre esperamos por alguma coisa para contradizer as verdades mais terríveis que temos de enfrentar. Como todos nós acreditamos em qualquer coisa para contrariar a realidade em sua forma mais concreta. (...) Eu simplesmente queria acreditar em outra interpretação daquela narrativa, uma versão que não fosse tão fria, tão sombria. A versão com a qual eu pudesse viver.

Acho que nunca marquei tantos quotes durante uma leitura. O livro tem 527 páginas, e não acredito que nenhuma delas poderia ser descartada. Tudo é relevante para a história, e muita coisa se passou na minha cabeça enquanto eu lia. Refleti sobre o mundo, sobre a vida das personagens, sobre a minha própria vida. Sobre as escolhas que fazemos e as consequências, boas ou ruins, que elas nos trazem. Sobre nossa forma de encarar essas consequências, que podem definir que tipo de pessoas seremos pelo resto de nossos dias.

É possível sempre olharmos para frente, que é o conselho que sempre nos dão? Ou é preciso conservar alguns vestígios cruciais de nosso passado, por mais dolorosos e terríveis que sejam, para compreender que há certas coisas na vida que nos transformam tão radicalmente que ficam conosco para sempre?

O Momento foi uma leitura bem diferente do que eu imaginei. Muito mais descritivo, com muito mais informações históricas do que eu esperava receber. Mas me interessei bastante pelo que o autor contava. Gostei dele ter mostrado pontos de vista de quem conheceu a RDA por dentro e de quem apenas a via de fora; acredito que tenha feito uma boa pesquisa para escrever o livro. A história me tocou, e tenho certeza que isso aconteceu porque ela me encontrou na hora perfeita.

Resenha postada no skoob.

15 comentários:

  1. Acho essa capa linda! Curti isso de "um livro dentro de outro livro", mas me peguei super curiosa em vários momentos:

    "Sem pensar no que está fazendo, tem uma atitude completamente imprudente, da qual se arrepende no último momento. Esse arrependimento salva sua vida, e assim ele tem que enfrentar algo muito mais complicado: encarar o passado que realmente o machuca, que lhe visita na forma de uma caixa."

    Que atitude imprudente? Como um arrependimento pôde salvar sua vida? (O_o)
    PRECISO LER! hahahahaha

    ResponderExcluir
  2. Oi Ju!

    Já tinha ficado interessada no livro quando li a sinopse em algum lugar pelos fatos históricos. Adoro essa temática quando o autor mescla ficção e fatos reais. É o tipo de história que tem tudo para me envolver. Adorei a resenha.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Se tem história que eu gosto é quando tem protagonista professor, jornalista, cineasta ou escritor. Sempre me cativam! Ainda mais quando tem um período histórico como plano de fundo. Nunca cogitaria ler esse livro pela capa, mas depois de saber que é um romance com tudo isso, fiquei curioso!

    Abraços!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  4. Oieee, eu nunca tinha visto este livro kkk, mas adorei a capa dele rsrs (muito linda) achei a história bem legal, vai para a minha lista de desejados rs, Abraços

    ResponderExcluir
  5. Oi Ju.
    Eu já me interessei só em saber que tem muitas informações históricas, gosto de aprender esses fatos através de uma mescla de real e ficção, fica bem mais interessante.
    E o melhor é que o livro nos leva a refletir, adoro isso, quando paro e fico com o olhar fixo pensando.
    Adorei a dica.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju... apesar do livro não me despertar pela leitura nesse momento eu gostei das informações históricas que consta no livro. Eu acredito que o autor como vc disse deve ter pesquisamo muito.. Todo esse aspecto de separação pelo muro de Berlim que foi um fato real e se mistura com uma história contada... deixa ele bem atrativo. Mas nesse momento da minha vida eu não leria ele... Mas deixei anotado. Xero!!!

    ResponderExcluir
  7. Achei interessantíssimo! Gostei de ter uma história dentro da outra, além das referências à então separação da Alemanha, a parte histórica... Parece ser mesmo surpreendente, principalmente se tomarmos pela capa. A meu ver, ela não traduz nem indica o tipo de leitura que o livro traz.

    ResponderExcluir
  8. Parece ser uma leitura que provoca muitos sentimentos no leitor...ainda não conhecia e achei bem interessante. Parece ser um livro bem grosso, e gostei de saber que nenhuma das partes poderia ser descartada. Fiquei curiosa para saber como será o desfecho! :)

    ResponderExcluir
  9. Oi Ju,
    tudo bem?
    Sempre quando me deparo com uma resenha sua, sou sacudida, é isso. Você me apresenta livros que fazem a diferença, com valores a serem aprendidos.
    Vou ter que citar esse trecho seu, que me deixou impressionada:
    "Em certo momento, o autor decide que quer fazer a gente sofrer bem aos poucos. Senti como se eu estivesse sendo realmente torturada, mas sabendo que ele queria que eu sobrevivesse. Depois de muito sofrimento, quando a gente pensa que acabou, vem a parte em que ele realmente parece enfiar uma faca no nosso coração e ficar remexendo para doer mais. É inacreditável tudo o que acontece. E, por mais que doesse muito conhecer todos os fatos, eu não conseguia parar de ler."

    Eu fiquei angustiada com suas palavras, tão intensas, tão impactantes. Levei um tapa!!!!!
    Nem preciso dizer o quanto adorei essa história e o quanto sua resenha está ótima!!!!!!
    Beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Ju,
    Sempre que leio suas resenhas vejo os detalhes que você mencionar sempre tem algo a mais do que a simples leitura que muito fazem, aqui não foi diferente, só de ler sua opinião fiquei interessada por essa história, gosto quando o autor consegue despertar o leitor como foi nesse livro.
    Beijos

    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  11. "Um livro dentro de um livro". Tenho certeza que se eles não estiverem tão separados, eu vou me perder e bonito. Mas vou deixar aqui anotado, pois gostei da premissa *-*.

    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Apesar do livro ter te tocado vou ser sincero achei bem monótono, claro posso estar totalmente errado, mas sabe aquelas histórias chatas que demoramos pra ler e arratamos, pois então tenho a impressão que essa é uma delas, mesmo você tendo gostado, acho que não gostaria tanto !
    Beijos, Carlos.

    http://blogchuvadeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Então, temos um livro dentro do livro.
    Metalinguística!
    Eu gosto muito de livros que trazem aquele teor histórico! Acho que ia gostar muito desse livro!
    Parabéns pela resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá Ju, achei a história bem confusa, não dá para confundir não?
    Um livro dentro de um livro? Não o conhecia e através de sua resenha pode
    saber sobre a narrativa, confesso que achei bem complexo, não sei se estou
    exagerando, ou é porque ele não é o meu gênero. Mas pelo que li ele é bem inteligente.

    bjs

    http://www.loveebookss.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá Ju!
    Achei a premissa do livro interessante, mesmo tendo um livro dentro de outro e tendo partes históricas, mas o que realmente me interessou é saber a história de Thomas e Petra, me correndo aqui.
    Adorei sua resenha como sempre.
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo seu comentário. =)

Os comentários são moderados, mas sua opinião logo será publicada!

Sejam sempre muito bem-vindos!

 

Entre Palcos e Livros Copyright © 2014 Design by Rebecca Barboza RêVivendo